MAPA DO SITE BUSCA
 
 
 
Cinema
 

Filmes, vídeos e documentários

Título: Euclides da Cunha
Documentário, P/B, 14 min., 1944, Brasil.
Direção: Humberto Mauro
Sinopse: "A vida do grande escritor brasileiro, evocando a época em que viveu, sobretudo a Guerra de Canudos, tema de sua principal obra Os Sertões."

Título: Um Sino dobra em Canudos
Documentário, P/B, 1962, Brasil.
Direção e Apresentação: Carlos Gaspar
Cinegrafistas: Heinz Forthmann / Alexander Órban / Domenico Pennachia
Produção: Carlos Gaspar
Locações: Canudos
Produtora: Perbin Perbin Produções
Montagem: Ítalo di Bello
Sinopse: Documentário gravado totalmente em Canudos que registra depoimento de José Ciríaco (Tizé), remanescente da Canudos conselherista.

Título: Deus e o Diabo na Terra do Sol
Ficção, 35mm, P/B, 125 min., 1964, Brasil.
Produtora: Copacabana Filmes
Diretor de Produção: Agnaldo Azevedo
Diretor: Glauber Rocha.
Assistentes de Direção: Paulo Gil Soares / Walter Lima Jr.
Roteiro: Glauber Rocha e Walter Lima Jr.
Direção de Fotografia e Câmera: Waldemar Lima
Gravuras: Calasans Neto
Cartaz: Rogério Duarte
Música: Villa-Lobos
Canções: Sérgio Ricardo (melodia) / Glauber Rocha (letra)
Locações: Monte Santo, Feira de Santana, Salvador, Canudos, etc.
Prêmios: Prêmio da Crítica Mexicana/Festival de Acapulco, México,1964; Grande Prêmio Festival de Cinema Livre, Itália, 1964; Náiade de Ouro/Festival Porreta Terme, Itália, 1964; Grande Prêmio Latino Americano - I Festival de Mar del Plata, Argentina, 1966.
Elenco: Geraldo Del Rey, Yoná Magalhães, Maurício do Valle, Othon Bastos, Sônia dos Humildes, moradores de Monte Santo.

Título: O Sertão do Conselheiro (Novo)
Documentário, 16/35 mm, Cor, 10 min. 1984, Brasil.
Direção e Roteiro: Agnaldo Siri Azevedo
Fotografia: Luis Celso Campinho
Direção de Produção: Chico Drummond
Assistente de Direção: Timo Andrade
Texto: Poesia de Fred Souza Castro
Declamada por : Carlos Sampaio
Produtora: Promatu Produçoes Cinematográficas
Prémios: Melhor Filme de Ficção - IX Jornada de Cinema da Bahia
Sinopse: Evocação dos caminhos percorridos por Glauber Rocha em Monte Santo e Cocorobó, Serra de Canudos, Bahia, quando filmava Deus e o Diabo na Terra do Sol. Paralelismo entre o vigor e o rigor místico dos propósitos de Antônio Conselheiro e do cineasta, dirigidos pela ânsia de despertar a consciência dos homens e promover a liberdade.

Título: Memória de Deus e o Diabo em Monte Santo e Cocorobó.
Direção de Agnaldo Siri Azevedo. 10 min., 1984.

Título: Canudos
Documentário, 35 mm, Cor, 70 min. 1978, Brasil.
Direção e Roteiro: Ipojuca Pontes
Direção de Fotografia e Câmera: Vito Diniz, Aloysio Raulino, Júlio Romiti
Ilustrações: Poty
Letreiros: Luís Carolino
Som Direto: Timo de Andrade / Ipojuca Pontes
Narração: Walmor Chagas
Montagem: Henrique Santos
Música: J. Lins
Produtora: Ipojuca Pontes Produções Cinematográficas / Tereza Raquel Produções Artísticas
Produção: Tereza Raquel

Título: UNEB - A Universidade do Sertão
Documentário, U-Matic, Cor, 1986, Brasil.
Direção: Pola Ribeiro
Roteiro: Ceres Nascimento
Texto: Maia Neto
Fotografia e Câmera: Lázaro Santana
Locução: Maia Neto e Lombardi
Produção: Ceres Nascimento e Departamento Comercial da TV Bahia
Locações: Euclides da Cunha, Monte Santo e Canudos
Sinopse: Vídeo Institucional, realizado para divulgar a criação do Centro de Estudos Euclides da Cunha e o projeto direcionado para o sertão. O vídeo apresenta o projeto para instituições nacionais e internacionais.

Título: Reconstrução
Documentário, VHS, 1987
Direção, Roteiro e Câmera: Jorge Alfredo
Produção: Secretaria de Planejamento do Estado da Bahia
Sinopse: A fundação da Igreja Popular de Canudos, pelo Padre Enoque Oliveira e os participantes das comunidades organizadas na região de Uauá, Monte Santo e Euclides da Cunha.

Título: Os Caminhos de Antônio Conselheiro
Documentário, Vídeo, Cor, 22 min. 1987, Brasil.
Direção e Roteiro: Ana Roland
Fotografia e Câmera:
Narração: José Dumont
Edição:
Música:
Produtora: Pró-Memória Vídeo
Sinopse: Trata da memória e das lembranças da Guerra de Canudos. Da população habitante da região, palco de guerra e da memória de Antonio Conselheiro na ambientação do sertão.

Título: Memórias de sangue.
Direção de Conceição Sena. 22 min., 1987.

Título: Memórias de Sangue (Novo)
Documentário, 35 mm, Cor, 13 min., 1987/88, Brasil.
Direção e Roteiro: Conceição Sena
Fotografia e Câmera: Mário Carneiro
Som: Cristiano Maciel
Música: Carlos Pita, Philip Glass
Montagem: Aída Marques
Sinopse: "Afirmando que Canudos não morreu, os descendentes dos participantes da Guerra de Canudos criam uma nova comunidade, já que o estopim da guerra continua o mesmo."

Título: República de Canudos
Documentário, U-Matic, 30/45 min., Cor, 1989, Brasil.
Direção: Pola Ribeiro e Jorge Felippi
Roteiro: Jorge Alfredo
Fotografia: Jorge Alfredo e Moisés Augusto
Direção Musical: Jorge Alfredo
Direção de Produção: Moisés Augusto
Produção de Campo: Marcelo Costa
Música: Jorge Alfredo
Produtora: Truq Cine TV Vídeo
Prêmios: Melhor Roteiro, Melhor Fotografia, Melhor Direção - I Festival Latino-Americano de Vídeo Melhor Documentário - XIV jornada de Cinema e Vídeo do Maranhão Melhor Enfoque Afro Latino Americano - XVIII Jornada Internacional de Cinema da Bahia Sinopse: República de Canudos narra a trajetória da luta de libertação das comunidades organizadas do sertão da Bahia e traz a tona a memória de Antônio Conselheiro, que sobrevive incólume no dia-a-dia, na fantasia ou até mesmo nas comunidades de Uauá, Euclides da Cunha, Cocorobó, Tucano e Monte Santo.

Título: Canudos Revisited (Canudos, de Novo)
Documentário em Vídeo, Cor, English 22 min.; (Portuguese 29 min), 1990, USA.
Direção: Robert M. Levine
Roteiro: Robert M. Levine
Produtora: Milwaukee, Wis. : Center for Latin America, University of Wisconsin--Milwaukee, c1990 Sinopse: This is an original program that offers a new interpretation of the late nineteenth-century Canudos war in Brazil as well as a look at the contemporary Bahian community of Nova Canudos. The video features archival photographs, never before published, and outstanding modern visuals of rural Brazil. Written by Robert M. Levine.

Título: Caderneta de Campo
Documentário, SVHS/U-Matic, Cor, 1991, Brasil.
Direção, Roteiro, Fotografia e Produção: Pola Ribeiro
Edição: H.D. Júnior
Finalizadora: Truq Cine TV Vídeo
Locações: Cidade de Canudos e Parque Estadual de Canudos
Sinopse: Anotações sobre o trabalho da UNEB no sertão, a Semana de Cultura, as pessoas, os lugares, o acampamento do Exército, abrigando o evento. Afinidades e contrastes.

Título: Utopia
Documentário, Betacam, 30 min, Cor, 1992, Brasil.
Direção e Roteiro: Pola Ribeiro
Fotografia: Rosinaldo "Tripinha"
Produtor: Marcelo Costa
Edição: Ana Ventura
Produção: Truq Cine TV Vídeo
Realização: Centro de Estudos Euclides da Cunha CEEC - UNEB
Locações: Cidade de Canudos e Parque Estadual de Canudos
Sinopse: Registro da Semana Cultural de Canudos promovida pela UNEB e Prefeitura Municipal de Canudos no ano da comemoração do Centenário da chegada de Antônio Conselheiro ao Belo Monte. Palestrantes, Grupos Culturais e Manifestações Populares.

Título: Paixão e Guerra no Sertão de Canudos
Documentário, Betacam, Cor, 78 min. 1993, Brasil.
Direção e Roteiro: Antonio Olavo
Fotografia e Câmera: André Benigno
Produção Executiva: Ricardo Gaspar / Selma Santos
Assistentes de Produção: Salomão Soares
Som: João do Valle
Prêmios: Sol de Ouro - Melhor Vídeo do X Rio Cine Festival Internacional,1994
Prêmio Diomedes Gramacho - Melhor Produção Baiana da XX Jornada Internacional de Cinema
Locações: Quixeramobim (CE), Chorrochó (BA), Crisópolis (BA), Monte Santo (BA), Canudos (BA), etc.
Montagem: Paulo Pestana
Direção Musical: Fábio Paes
Narração: José Wilker
Cartaz: Dalva Bonfim
Produtora: Portfolium Laboratório de Imagens
Produtor: Antonio Olavo
Sinopse: Paixão e Guerra no Sertão de Canudos é um documentário que conta a epopéia sertaneja de Canudos de forma ampla e aprofundada, construído ao longo de 3 anos. As filmagens foram realizadas nos meses de abril e maio/93, por 180 cidades e povoados do Ceará, Pernambuco, Sergipe e Bahia, num percurso de 7.000 km, refazendo assim a trajetória de Antônio Conselheiro em suas andanças pelo sertão. O vídeo reúne raros e emocionantes depoimentos de parentes de Conselheiro, contemporâneos da guerra, filhos de lideres guerrilheiros, historiadores, religiosos e militares, que expressam diferentes pontos de vistas sobre os acontecimentos históricos, e são associados a um expressivo conjunto de imagens da flora e fauna sertaneja que compõem um interessante jogo de situações subjetivas que ilustram a narração. Desde o seu lançamento em première mundial no Latin American Festival da Carolina do Norte (USA), como convidado especial em novembro de 1993, o documentário vem desenvolvendo uma carreira inusitada de extraordinário sucesso de público e crítica, se espalhando em exibições, geralmente seguidas de debate, em universidades, colégios, associações de bairro, igrejas, sindicatos, mostras de filmes e vídeos dentro e fora do Brasil. Neste circuito alternativo já vendeu mais de 4.000 fitas VHS (é best seller nacional) e foi assistido por mais de um milhão de pessoas.

Título: Canudos não Morreu - A Confirmação
16mm, Cor, 1994/95, Brasil.
Roteiro: Jorge Alfredo
Direção: Pola Ribeiro
Fotografia: Vito Diniz
Montagem: Cristiane Cocco e Peter Pryzgodda
Trilha Sonora: Jorge Alfredo, Luciano Chaves e Luizinho Assis
Diretor de Produção: Moisés Augusto
Locações: Uauá, Monte Santo, Parque Estadual de Canudos
Produtora: Truq Cine TV Video - ZDF
Sinopse: A busca da redenção, da utopia de Canudos. A luta e a caminhada na construção do próprio destino. Trabalho realizado com as pessoas da região de Uauá e Monte Santo que já tinham tido experiência com a câmera em documentários em vídeo, desta vez encenando parte des suas histórias para o cinema e com depoimentos no ambiente interno das residências. Filme realizado como episódio do longa metragem "Os Sete Sacramentos de Canudos", produzido pela TV alemã ZDF.

Título: A Matadeira
Ficção, 16 mm, Cor, 1994, Brasil.
Direção e Roteiro: Jorge Furtado
Direção de Fotografia: Alex Sernambi / Gaspar Martins
Direção de arte: Fiapo Barth
Diretor de Produção: Sandro Dreyer
Assistentes de Direção: Dainara Toffoli
Montagem: Giba Assis Brasil
Elenco: Pedro Cardoso
Prêmios: Prêmios Principais: 22º Festival de Gramado, Cinema Latino, 1994:11º Rio-Cine Festival, Rio de Janeiro, 1995: Melhor Direção de Curta Gaúcho, Melhor Fotografia de Curta Gaúcho.Prêmio Contribuição à Linguagem Cinematográfica.
Locução Masculina: Carlos Cunha Filho
Locução Feminina: Lisa Becker
Música: Leo Henkin
Produtora: Casa de Cinema P.A
Produtora Executiva: Nora Goulart
Sinopse: "Canudos foi uma pequena aldeia no nordeste do Brasil, fundada pelo líder messiânico Antônio Conselheiro e massacrada por um poderoso exército até a morte do último de seus 30 mil habitantes, em 5 de outubro de 1897. O filme conta o massacre de Canudos a partir de um canhão inglês, apelidado pelos sertanejos de 'A MATADEIRA', que foi transportado por vinte juntas de boi através do sertão para disparar um único tiro."

Título: Os Sertões (Novo)
Documentário, Cor, 67 min., 1995, Brasil.
Direção e Roteiro: Cristina Fonseca
Direção de Fotografia: Alex Sernambi / Gaspar Martins
Produção: Alejandra Hope
Pesquisa Iconográfica: Nerci Ferrari
Arte: Aida Cassiano, Paulo César Dias, Aimberê Santos e Wesllen da Silva Silvério
Cenografia: Luciene Grecco
Trilha Sonora: David Tygel
Narração: Dráusio de Oliveira
Direção de Fotografia/Estúdio: Maurício Valim
Participação Especial: Antônio Nóbrega
Realização: TV Cultura
Sinopse: "este programa que faz parte da série Leituras do Brasil, produzida pela TV Cultura. Com direção e roteiro de Cristina Fonseca, o documentário faz uma reconstituição histórica da Campanha de Canudos, luta que se travou no sertão da Bahia entre uma comunidade de sertanejos e as tropas do exército e nasceu de uma reportagem para o jornal "O Estado de S. Paulo", quando o escritor foi cobrir o evento, como enviado de guerra.Seguindo um esquema determinista, Euclides da Cunha estrutura Os Sertões em três partes: "A Terra", "O Homem" e "A Luta". Ele só fala do conflito propriamente dito depois de levantar dados geográficos e culturais da região e do Brasil, numa proposta de causalidade. Canudos como resultado do confronto entre esses dois Brasis, em tudo distintos entre si não só no espaço como no tempo, pelo atraso dos séculos em que vive mergulhada a sociedade rural.O documentário segue a mesma estrutura do livro, dividindo-se em três blocos que respeitam a divisão do autor: "A Terra", "O Homem" e "A Luta". De acordo com as considerações de Euclides, tem como base "A Terra" (o meio que influencia o homem e a luta). Traduzido em imagens, são cenas do solo, da caatinga, das formações rochosas, veredas, flora e fauna da região. Com essa textura de fundo, faz surgir constantemente, em sobreposições, "O Homem" e "A Luta". Respeitando a complexidade da obra, ao abordar a discussão de cultura, raça e sociologia, levantadas pelo autor, o documentário mostra, através de cenas fortes, feitas na própria região de Canudos, somadas aos depoimentos de descendentes dos revoltosos, o sertão e o sertanejo hoje."

Título: Antônio Conselheiro
Documentário, SVHS, 5 min. Cor, 1996, Brasil.
Direção e Edição: Marcelo Rabelo
Imagens: Marcelo Rabelo
Edição: Carlos Modesto
Música: Patativa do Assaré
Produtora: Beijupirá

Título: Canudos, Uma História Sem Fim
Documentário, Vídeo, 52 min. Cor, 1996, Brasil.
Reportagem e Edição: Paulo Lafene
Imagens: Antônio Abreu
Edição: Roberto Morais, Luís Cláudio São Bernardo
Produtora: Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia / TV Educativa (IRDEB / TVE)
Sinopse: " ... é um documentário que resgata uma parcela da história de Canudos, que culminou com o extermínio da quase totalidade dos seguidores de Antônio Conselheiro e com a morte de centenas de soldados. O Especial - parte do projeto de mapeamento cultural do Estado - traz imagens do Arraial de Canudos, que, em 97, completa um século de destruição e continua inspirando filmes, livros e reportagens. Antônio Vicente Mendes Maciel, o Antônio Conselheiro, percorria o sertão baiano acompanhado de indigentes, recuperando igrejas e cemitérios em troca de comida. Depois de caminhar, por duas décadas, estabeleceu-se com seu grupo no vale do Vaza Barris, fundando o Arraial de Canudos. No programa, as filmagens de Canudos, a Guerra no Céu do Sertão, do cineasta Sérgio Rezende, para o que foi construída uma gigantesca cidade cenográfica, abrigando cerca de oito mil figurantes e 100 atores, entre eles, nomes famosos, como José Wilker, que interpreta o Conselheiro, Marieta Severo e Paulo Betti. O documentário traz ainda depoimentos de pessoas da região que mantiveram vivas, através da tradição oral, algumas peculiaridades do cotidiano do povoado."

Título: Canudos, Açude Vivo
Documentário, Vídeo, Cor, 52 min., 1996, Brasil.
Direção:
Roteiro:
Fotografia:
Produção:
Produtora: Verbo Filmes

Título: Monte Santo: o Caminho da Santa Cruz
Documentário em Vídeo, Cor, 48 min. 1997, Brasil.
Direção e Edição: José Umberto
Imagens: Edinilson Mota e Sandro Abade
Auxiliar: Nilton Queiroz
Produção: Angela Machado
Narração: Marla Rodrigues e Johny Santos
Edição de VT: Antônio Carlos dos Santos
Áudio: Carlos Santos e Vera Martins
Apresentação: Luiz Viana
Produtora: Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia / TV Educativa
Sinopse: "O vídeo aprofunda o que aparece nos noticiários, na ocasião da Semana Santa, e mostra, de forma poética, a representação popular da Paixão de Cristo, através das procissões dos peregrinos do sertão baiano até o Alto da Divina Santa Cruz, uma tradição inaugurada em 1775, pelo frade italiano Apolônio de Todi. O cenário é a Serra do Piquaraçá, situada na região de Monte Santo. As imagens, por vezes panorâmicas, revelam a surpreendente paisagem verde e florida do sertão chuvoso, o povo mercando nas feiras e a via-sacra ladeada de cruzes e capelas com painéis dos passos de Cristo, onde a arte popular está inscrita nas suas figuras.
Anualmente, caravanas de devotos e pagadores de promessas se deslocam até lá, para acompanhar o ritual organizado pela Irmandade da Santa Cruz, em agradecimento por favores alcançados. A sede do santuário - o mais antigo no gênero do continente - foi lugar de inspiração mística de Antônio Conselheiro e quartel-general das tropas republicanas em direção a Canudos.
No documentário, que utiliza o clima dramático como recurso, depoimentos e entrevistas são substituídos por imagens e cantorias, a expressão mais fiel desta manifestação. Aqui, a fé se distancia do significado alienador e revela um poder transformador da realidade de quem a preserva."

Título: CANUDOS - Histórias de uma Romaria
Documentário em Vídeo, Cor, 18 min. 1997, Brasil.
Direção e Edição: Esmon Primo
Pesquisa/Coordenação: Tadeu Botelho, José Dias, Rubens Mascarenhas
Pesquisa/Participação: Alunos do Curso de História/UESB
Texto: Tadeu Botelho, José Dias, Ana Claudia Rocha, Teresa Cristina Rocha
Argumento: Tadeu Botelho / José Dias
Roteiro: Jorge Melquesedeque / José Dias / Esmon Primo
Contador/História: João Reginaldo (João de Régis)
Imagens: Renato Correia
Iluminação: Rogério Brito
Narração: Luciana Nery
Trilha Sonora: Fábio Paes, Lenine/Suzano, Romeiros/Benditos, Quinteto Violado
Realização: Produtora Universitária de Vídeo - ProVídeo/UESB
Sinopse: "CANUDOS: Histórias de uma Romaria", pretende discutir a religiosidade, tanto na antiga quanto na atual Canudos. É a observação sistemática da permanência dos ritos, símbolos e outras práticas religiosas, ao lado de reivindicações de ordem social, como a justiça e a igualdade. Essa característica dos canudenses é resgatada neste documento que mostra como um povo não pode renegar seu passado de luta, apesar das inúmeras tentativas de apagar a sua coragem. Este documentário é uma contribuição à preservação dessa história e uma homenagem aos homens, mulheres e crianças que foram queimados, trucidados, degolados ou banidos, mas não abandonaram a terra, para viver com dignidade. (José Dias)

Título: Canudos a Guerra no Sertão
Documentário, Betacam, 41min., Cor, 1997, Brasil.
Direção e Roteiro: Trípoli Gaudenzi
Fotografia e Câmera: Vito Diniz
Música:Ernest Wiedmer, Luiz Gonzaga, Villa Lobos
Produtora:Ecran Produções Audiovisuais

Título: Guerra de Canudos
Ficção, 35 mm, Cor, 170 min. 1997, Brasil.
Direção: Sérgio Rezende
Roteiro: Sérgio Rezende
Direção de Fotografia: Antônio Luís Mendes
Câmera: Giselle Chamma
Direção de arte: Claudio Amaral Peixoto
Figurino: Beth Filipecki
Direção de Produção: César Cavalcanti
Assistentes de Direção:
Elenco: Cláudia Abreu, José Wilker, Paulo Betti, Marieta Severo, Selton Mello, Roberto Bomtempo, Tonico Pereira.
Locações: Junco do Salitre (Juazeiro - BA)
Cartaz:
Som: Mark Willigen
Música: Edu Lobo
Produção Executiva: Marisa Figueiredo
Produção:Morena Filmes/Mariza Leão
Sinopse: "Guerra de Canudos (1896/97): conflito entre as tropas federais e os sertanejos, seguidores do líder religioso Antônio Conselheiro. É nesse contexto, que aparece a história de uma família, seguidora de Conselheiro. Pais e irmãos seguem sua perigrinação, mas Luiza, a filha mais velha, se recusa a continuar. A família segue seu destino até Belo Monte, região de Canudos, onde junto com os demais fiéis de Conselheiro, tentam resistir aos vários ataques dos soldados que desejam acabar com Canudos, que não se rende. O grupo de fiéis encontra força no ideal que defende."
Nota: "O filme é uma das grandes produções, de todos os tempos, do cinema brasileiro. A força de suas imagens - o impacto visual - é um espetáculo a parte; Rezende, encontrou inspiração para suas cenas, na força das palavras de Euclides da Cunha, em "Os Sertões", clássico da literatura brasileira que registra a Guerra de Canudos. "Guerra de Canudos", ficou orçado em 6 milhões de dólares."

Título: O Arraial
Ficção, 35 mm, Cor, 13 min. 1997, Brasil.
Direção: Otto Guerra e Adalgisa Luz
Roteiro: Adalgisa Luz
Direção de arte: Eloar Guazzelli e Paulo Mastroberti
Animadores: Tadao Miaqui, Lisandro Santos, Andrés Lieban e Kyoko Yamashita.
Edição de Som: Estúdio Tecla (Salvador).
Trilha sonora original: Elomar Figuera e João Omar
Produtora: Otto Desenhos Animados Ltda
Sinopse: Animação próxima às imagens da literatura de cordel. No sertão da Bahia, no final do século 19, centenas de famílias foram para o Arraial Santo de Belo Monte de Canudos, atraídos pelas promessas de Antônio Conselheiro.

Título: A Penitência
Documentário, Vídeo, Cor, 11min. 1997, Brasil.
Direção e Roteiro: Joel Almeida
Direção de Fotografia e Câmera:
Diretor de Produção:
Prêmios: Melhor Direção (III Vídeo Terra-Brasilia, 1998) / Melhor Vídeo (VIII Cine Ceará - Fortaleza, 1998 / Melhor Produção Baiana (XXV Jornada Internacional de Cinema da Bahia, 1998) Música:
Sinopse: "Retrata o cotidiano de comunidades de pequenos agricultores do sertão da Bahia, sobretudo na região de Canudos e sua prática religiosa durante o período da semana santa católica. É mostrado com mais ênfase os rituais do sacramento da penitência, em suas manifestações exacerbadas e de pagamento de promessas ("Procissão do Senhor Morto" de Monte Santo), do culto aos mortos ("Cordões de alimentadeiras das almas" em Juazeiro), e da autoflagelação na remissão dos pecados ("Ritual da Disciplina", Rodeadouro). O camponês, a dona de casa, os beatos e as beatas do sertão, purgando os seus pecados simples de uma maneira trágica, como é a trágica realidade do povo sertanejo.

Título: Tempo Bravo - Guerra de Canudos Relembrada (Novo)
Documentário, SVHS, Cor, 27 min. 1997, Brasil.
Direção, Roteiro e Edição: Alejandro Gabriel Miguelez
Orientação: Cremilda Medina
Música: Bião, Tomzé, José Miguel Wisnik, Fábio Paes e Enoque Oliveira
Produção: CJE-ECA-USP
Sinopse: Documentário que recolhe depoimentos de descendentes conselheiristas, moradores do sertão de Canudos, historiadores e artistas que trabalham com o tema.

Título: Os Sertões: Ano 100
Documentário, SPVD / CCS - USP, 2002
28 min. / NTSC
Direção: Tâmis Parron
Roteiro: Tâmis Parron e Ananda Carvalho
Reportagem: Carol Baggio e Tâmis Parron
Produção: Carol Baggio e Tâmis Parron
Divulgação:Carol Baggio
Direção de Foto: Ananda Carvalho
Fotografia: Ananda Carvalho e Eduardo Kishimoto
Edição: Maurício Osaki

 
Home Topo Voltar
 
Copyright 2007 Academia Brasileira de Letras. Todos os direitos reservados.